Notícias Mais Recentes

Psiu Poético inspira crianças e desperta o interesse pela leitura ainda na infância


Evento está na 32ª Edição em Montes Claros e reúne poetas de várias idades; programação termina nesta sexta (12), Dia das Crianças. Crianças como a Maria Eduarda ajudam a contar a história do evento
Maria Eduarda/Arquivo pessoal
Leves, doces, simples e encantadoras. As crianças e a poesia carregam particularidades em comum e são elementos essenciais na construção da história do Salão Nacional de Poesia Psiu Poético, em Montes Claros. O evento está na 32ª Edição e se encerra nesta sexta (12), no Dia das Crianças.
Durante oito dias de programação, alunos, poetas, artistas e críticos literários participaram de uma série de atividades em prol da democratização cultural. Aroldo Pereira, agitador cultural e organizador do Psiu Poético, destaca que o encontro viabiliza o despertar nas crianças e influencia na construção do gosto pela leitura e escrita desde cedo.
“Tradicionalmente o Psiu proporciona a interação dessas crianças de Montes claros, dialogando com o Norte de Minas, o estado e o Brasil. A importância é máxima no sentido de exercitar a linguagem literária deles, a produção. Além disso, o evento possibilita conhecer vários poetas do Brasil, os inciantes e nomes conhecidos como a Adélia Prado, Arnaldo Antunes, Patricia Porto, entre outros. Mas, ao mesmo tempo, todos tem a mesma importância, pois o mais interessante é o gosto pela poesia. Essa é a grandeza social desse projeto”, diz Aroldo.
Alice recita pela primeira vez no Psiu Poético
Maria Rita Oliveira/ Arquivo pessoal
Esta é a primeira vez que a pequena Alice Oliveira, de oito anos, recita poesias no evento. Mas desde pequena ela já vivenciava o clima do Psiu quando ainda era levada no colo da mãe. Com o sonho de ser escritora e médica veterinária quando crescer, Alice resume em poucas palavras o porque dela gostar tanto da poesia: “Tem rima, pessoas, imaginação e alegria. Quero fazer vários livros quando eu crescer, sobre a natureza, sobre as pessoas”, diz.
A mãe, orgulhosa, conta que a performance de Alice tem como inspiração a família, que também é recheada de apaixonados pelo mundo das letras. “Desde 2011, quando passei a morar em Montes Claros levo ela, quando ainda tinha dois aninhos. Sempre li para ela e o irmão para incentivar, igual a minha mãe me incentivava. Cresci com minha mãe fazendo isso, com meu avô, que era poeta e escritor e agora eu também escrevo. Por isso tenho essa perspectiva: é desde pequeno que se toma gosto, que eles começam a apreciar e desenvolver o potencial para a leitura e escrita. Hoje, a forma como a Alice escreve é espontâneo. Ela pega o papel e logo surge a poesia”, afirma Maria Rita Oliveira.
Autores brasileiros como Cecília Meireles e Vinícius de Morais inspiraram a estudante de administração Paula Ribeiro a ingressar no mundo da leitura aos 10 anos, quando participou pela primeira vez do Psiu Poético. Tanta paixão já rendeu a ela um livro, intitulado por ‘Poesias de menina’, lançado em 2011, e também participações nas antologias poéticas no Psiu. Hoje, com 18 anos, ela reconhece a contribuição do evento para sua formação literária.
“É um incentivador, cresci lá, aprendi muito, pois me motivou a continuar a escrever, a publicar minhas poesias e torná-las disponível para todos. Me incentivou a me expressar. Com a poesia eu consigo dizer o que sinto, quem eu sou”, comenta.
A paixão pelas letras também acompanha o norte-mineiro Antônio Wagner Rocha. O escritor participa do Psiu Poético desde a segunda edição, quando tinha 14 anos. Hoje, aos 44, ele já tem dois livros de poemas: Lápis lapso, de 1998, e Crepúsculo de arame, de 2014. O último foi indicado no vestibular do IFNMG e do Programa de Avaliação Seriada para Acesso ao Ensino Superior (PAES/ Unimontes).
Antônio conta que nos versos, busca estabelecer diálogo entre a poesia e o saber filosófico. Estilo que foi despertado no Psiu Poético. “O Psiu estimula as pessoas a se encontrarem com a linguagem poética, além do forte cunho social e político. É um espaço de diálogo, uma grande diversão a favor da arte, da cultura e da educação. Sem dúvida, a poesia é uma forma de existir, de se colocar no mundo enquanto ser humano por meio da linguagem e expressão”, diz.
Antônio Wagner participa do Psiu desde a segunda edição quando ainda tinha 14 anos
Antônio Wagner/ Arquivo pessoal
Caminhada ‘Despertar Poético’
A tradicional caminhada do ‘Despertar Poético’ é um dos momentos que mais evidenciam a participação das crianças no Salão. Neste ano, cerca de 300 crianças, professores, poetas e artistas de toda a região percorreram as ruas da cidade recitando e levando a poesia para todos os cantos.
A Maria Eduarda de Oliveira, de 14 anos, participa da caminhada literária há quatro anos. Ela afirma que as poesias escritas desde quando era pequena ganharam voz por meio das edições do Psiu Poético.
“Esse é um meio de encorajar as pessoas de falar aquilo que tem dentro delas. É uma forma de mostrar para todo mundo que a poesia é algo bom, traz felicidade. Encontrei na poesia um meio de expressar aquilo que estou sentindo sem me preocupar com o que as pessoas vão achar”, lembra Maria Eduarda.
Na caminhada, crianças, poetas e críticos literários recitaram poesias pela ruas da cidade
Aroldo Pereira/ Arquivo pessoal
Confira a programação de encerramento
10h – Poesia na Rodoviária
-Interação entre poetas, crianças, músicos, palhaços, atores e viajantes.
-Lançamentos
Lalá, A Lagartinha Mágica – Fábio Gonçalves
Local: Rodoviária de Montes Claros
20h – Performances e Poemas
Gabriel Filpe Guilherme Brito
Denisar Mota e Pequenos Gigantes
Banda Young Life
Elcio Lucas
Banda Apoenah
Local: Centro Cultural Hermes de Paula

Leia +
Fonte: MG – Grande Minas <g1.globo.com>

Pular para a barra de ferramentas