Notícias Mais Recentes

MP fiscaliza preços praticados por postos de combustíveis em Montes Claros após início da greve dos caminhoneiros

Ministério Público afirma que já recebeu denúncias de preços abusivos na cidade; reajustes precisam ter justa causa e empresários podem ser multados caso aumento seja descabido. Uma investigação preliminar foi instaurada pelo Ministério Público para apurar se preços de combustíveis praticados pelos postos de combustíveis em Montes Claros foram alterados após início do protesto dos caminhoneiros, desde a última segunda-feira (22); a ação é em conjunto com o Detran local. Segundo o MP, caso o posto de combustíveis se aproveite do receio da população de o produto acabar para lucrar acima da margem permitida, o proprietário pode ser multado por dano moral coletivo.
Segundo o promotor Filipe Caires, responsável por conduzir as investigações na cidade, aumentar o preço não é proibido, mas é preciso que o posto comprove que o fez por algum motivo, como reajuste de vendas das distribuidoras ou do preço do frete.
“Se constatarmos que houve casos deste tipo, vamos abrir processos administrativos. Orientamos os comerciantes que aumentem os preços somente se houver motivo concreto para tal. Se algum empresário já tiver aumentado, a orientação é que volte atrás, se não poderá ser punido”, afirma Caires.
A promotoria alerta, ainda, para que a população fique atenta ao preço pago nas bombas e que guarde a nota fiscal, uma vez que o aumento precisa ser comprovado. “A população pode nos ajudar, no sentido de indicar se algum posto aumentou o preço se aproveitando do receio de esgotamento das bombas. Guardar a nota fiscal pode provar que, antes do protesto, o preço do litro de combustível era inferior ao atual”, explica o promotor de Justiça.
Aumento sem justificativa
O MP afirmou, ainda, que já recebeu denúncias de preços abusivos cobrados pelos postos, e que vai apurar se os estabelecimentos tiveram motivo para fazer reajustes. “Caso algum posto tiver aumentado o preço da gasolina, álcool ou diesel nos últimos quatro dias, vai ter que comprovar alteração nos preços de compra ou transporte”, garante Felipe Caires.
O aumento nos preços de produtos sem justa causa é infração prevista no Código do Consumidor. Segundo o MP, a multa pode variar de acordo com a gravidade da infração cometida e com o arrecadamento do empreendimento. Os consumidores que encontrarem irregularidades nos preços podem pedir a nota fiscal da compra do combustível e encaminhar para a Promotoria de Justiça de Montes Claros.
Protesto na região
O protesto dos caminhoneiros contra o preço dos combustíveis chega ao quarto dia de forma pacífica em Montes Claros. Na BR-251, mais de 350 caminhoneiros permanecem parados no estacionamento de um posto de combustíveis. Em Janaúba, mais de 100 caminhoneiros aderiram à paralisação e estão parados na rodovia MG-122. A rodovia MG-401, em Jaíba, também foi fechada pelos manifestantes no trevo de acesso ao Distrito de Mocambinho.
Caminhoneiros também protestam em frente a um posto de combustíveis na BR-365, em Montes Claros. A Minaspreto informou que caminhoneiros também fecharam a base de distribuição de combustíveis na cidade, o que pode provocar a falta de combustíveis nos postos da cidade.
Initial plugin text

Leia +
Fonte: MG – Grande Minas <g1.globo.com>

Sem combustível, transporte de pacientes é prejudicado em Pirapora


Secretaria de Saúde anunciou que consultas eletivas marcadas para outras cidades precisarão ser remarcadas; donos de postos, já sem combustíveis, dizem que protesto é necessário. Posto de combustíveis no Centro de Pirapora está de tanques vazios e sem clientes
Felipe Teixeira/ Arquivo Pessoal
No quarto dia de protestos realizados por caminhoneiros contra a alta do preço do diesel, algumas cidades do Norte de Minas já sentem os reflexos dos bloqueios realizados nas estradas. Os veículos maiores, inclusive caminhões-tanque, são impedidos de chegar até os postos para reabastecê-los. Os postos de combustíveis localizados dentro da cidade de Pirapora já estão com estoques esgotados.
A situação tem preocupado empresários e autoridades da região. Segundo proprietários dos postos, a população tem procurado muito pela gasolina, mas não tem encontrado. O dono de um posto localizado no Centro da cidade, Felipe José da Teixeira, diz que a medida dos caminhoneiros prejudica o comércio diretamente a curto prazo, mas que é necessária.
“É claro que nossa situação é a pior possível. Tenho uma carreta retida em Paraopeba cheia de combustível, e meus tanques estão vazios. Mesmo assim, alguém tinha que tomar alguma providência. Os governantes estão abusando demais. Fico com medo de acontecer algo com o combustível, ou até com o motorista parado na estrada, mas fazer o que?”, questiona o empresário.
Outro posto, localizado no Bairro Cinquenário, também está sem combustível algum. Segundo uma funcionária que preferiu não se identificar, o telefone nunca esteve tão movimentado. “Toda hora alguém chega perguntando. O pessoal tem ligado, passado pelo posto querendo gasolina ou álcool, mas nós não podemos ajudar”, diz.
João Roquete é dono de dois postos de combustíveis de Pirapora, um localizado no Centro da cidade e outro no Bairro Santos Dummont. O empresário tem cinco caminhões-tanque retidos nas estradas. Ele acredita que a situação caótica provocada pelo protesto demorou a acontecer, e que a população precisa entender que os donos de postos não são os culpados pelos preços altos.
“É importante sim que o protesto aconteça, apesar do prejuízo que estamos levando nestes dias. Nós sofremos há muito tempo vendo as vendas diminuírem por conta dos valores altos do litro de combustível. O diesel subiu 30 centavos em menos de 15 dias, e os motoristas às vezes pensam que somos os vilões. Nós não temos como não repassar ao consumidor estes reajustes. Acho que o caminhoneiro tem que parar sim, porque trabalhando ou não ele não tem ganhado lucro. Com um preço deste valor, não tem como a conta deles fechar”, opina.
Secretaria de Saúde interrompe transporte
A Prefeitura de Pirapora divulgou nota nesta quinta-feira (24) informando que o transporte de pacientes para cidades como Montes Claros e Belo Horizonte será interrompido a partir da sexta-feira (25). Em nota, a secretaria de Saúde disse que o serviço será suspenso temporariamente devido a “falta de combustíveis no posto do município”.
A secretária de saúde do município, Maria Cândida Fiuza, afirma que procedimentos eletivos deverão ser remarcados e que procedimentos urgentes continuam tendo direito a transporte. “Nossa medida é emergencial, porque a cidade já está toda sem combustível. Para não faltar gasolina para ambulâncias, inclusive do SAMU, fazarem o trabalho necessário, vamos suspender o transporte para quem tem consultas ou tratamentos eletivos marcados, que possam ser remarcados sem prejuízos”, afirma.
Segundo nota da prefeitura, pacientes que necessitam de oncologia, tomografia, consultas especializadas e exames variados não serão atendidos. De acordo com a prefeitura, o transporte de pacientes será reestabelecido assim que os postos voltarem a receber e fornecer combustível.
Initial plugin text

Leia +
Fonte: MG – Grande Minas <g1.globo.com>

Pirapora fica sem combustível nos postos e prejudica transporte de pacientes


Secretaria de Saúde anunciou que consultas eletivas marcadas para outras cidades precisarão ser remarcadas; donos de postos, já sem combustíveis, dizem que protesto é necessário. Posto de combustíveis no Centro de Pirapora está de tanques vazios e sem clientes
Felipe Teixeira/ Arquivo Pessoal
No quarto dia de protestos realizados por caminhoneiros contra a alta do preço do diesel, algumas cidades do Norte de Minas já sentem os reflexos dos bloqueios realizados nas estradas. Os veículos maiores, inclusive caminhões-tanque, são impedidos de chegar até os postos para reabastecê-los. Os postos de combustíveis localizados dentro da cidade de Pirapora já estão com estoques esgotados.
A situação tem preocupado empresários e autoridades da região. Segundo proprietários dos postos, a população tem procurado muito pela gasolina, mas não tem encontrado. O dono de um posto localizado no Centro da cidade, Felipe José da Teixeira, diz que a medida dos caminhoneiros prejudica o comércio diretamente a curto prazo, mas que é necessária.
“É claro que nossa situação é a pior possível. Tenho uma carreta retida em Paraopeba cheia de combustível, e meus tanques estão vazios. Mesmo assim, alguém tinha que tomar alguma providência. Os governantes estão abusando demais. Fico com medo de acontecer algo com o combustível, ou até com o motorista parado na estrada, mas fazer o que?”, questiona o empresário.
Outro posto, localizado no Bairro Cinquenário, também está sem combustível algum. Segundo uma funcionária que preferiu não se identificar, o telefone nunca esteve tão movimentado. “Toda hora alguém chega perguntando. O pessoal tem ligado, passado pelo posto querendo gasolina ou álcool, mas nós não podemos ajudar”, diz.
João Roquete é dono de dois postos de combustíveis de Pirapora, um localizado no Centro da cidade e outro no Bairro Santos Dummont. O empresário tem cinco caminhões-tanque retidos nas estradas. Ele acredita que a situação caótica provocada pelo protesto demorou a acontecer, e que a população precisa entender que os donos de postos não são os culpados pelos preços altos.
“É importante sim que o protesto aconteça, apesar do prejuízo que estamos levando nestes dias. Nós sofremos há muito tempo vendo as vendas diminuírem por conta dos valores altos do litro de combustível. O diesel subiu 30 centavos em menos de 15 dias, e os motoristas às vezes pensam que somos os vilões. Nós não temos como não repassar ao consumidor estes reajustes. Acho que o caminhoneiro tem que parar sim, porque trabalhando ou não ele não tem ganhado lucro. Com um preço deste valor, não tem como a conta deles fechar”, opina.
Secretaria de Saúde interrompe transporte
A Prefeitura de Pirapora divulgou nota nesta quinta-feira (24) informando que o transporte de pacientes para cidades como Montes Claros e Belo Horizonte será interrompido a partir da sexta-feira (25). Em nota, a secretaria de Saúde disse que o serviço será suspenso temporariamente devido a “falta de combustíveis no posto do município”.
A secretária de saúde do município, Maria Cândida Fiuza, afirma que procedimentos eletivos deverão ser remarcados e que procedimentos urgentes continuam tendo direito a transporte. “Nossa medida é emergencial, porque a cidade já está toda sem combustível. Para não faltar gasolina para ambulâncias, inclusive do SAMU, fazarem o trabalho necessário, vamos suspender o transporte para quem tem consultas ou tratamentos eletivos marcados, que possam ser remarcados sem prejuízos”, afirma.
Segundo nota da prefeitura, pacientes que necessitam de oncologia, tomografia, consultas especializadas e exames variados não serão atendidos. De acordo com a prefeitura, o transporte de pacientes será reestabelecido assim que os postos voltarem a receber e fornecer combustível.
Initial plugin text

Leia +
Fonte: MG – Grande Minas <g1.globo.com>

Motociclista morre ao bater em traseira de carro estacionado às margens da BR-135, em Curvelo

Acidente foi próximo ao KM-636, na entrada da para a comunidade de Angicos; pista ficou parcialmente interditada. Um motociclista morreu em um acidente na BR-135, em Curvelo, região Central de Minas, na manhã desta quinta-feira (24). De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, a vítima, que não teve a idade divulgada, seguia em uma motocicleta quando bateu na traseira de um carro, que estava estacionado às margens da rodovia.
O acidente foi próximo ao KM-636, na entrada para a Comunidade de Angicos, zona rural de Curvelo. De acordo com os bombeiros, a vítima caiu da moto e morreu no local.
A pista ficou parcialmente interditada e já foi liberada.

Leia +
Fonte: MG – Grande Minas <g1.globo.com>

Protesto de caminhoneiros impede escoamento da produção de frutos no Norte de Minas


De acordo com associação, 500 carretas de banana não foram carregadas nesta semana; empresa de Janaúba diz que 300 funcionários estão parados sem poder trabalhar. Empresa doou frutos aos caminhoneiros que participam do ato
O protesto dos caminhoneiros impede o escoamento de diversos frutos produzidos no Norte de Minas. Somente na região de Jaíba, segundo a Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas (Abanorte), o prejuízo financeiro com a perda da produção de banana é incalculável, já que os veículos que carregaram não conseguiram chegar aos locais de destino.
“São carregados 500 caminhões semanalmente. Isso, somente de produtos gera uma perda em torno de R$ 18 mil por caminhão. Os poucos caminhões que saíram daqui carregados estão parados em postos de combustíveis com a mercadoria estragando”, diz o diretor presidente da Abanorte, Saulo Bresinsnki Lage.
O mesmo problema é constatado por uma empresa que comercializa frutas na região. Segundo o gerente geral operacional, Dailton dos Santos Ferreira, são comercializados e transportados frutas para diversas cidades das regiões centro-oeste e sudeste do país. Ao todo, 80 caminhões são carregados semanalmente para atender a demanda.
“Na segunda-feira (21) saíram nove caminhões, mas estão parados em rodovias de acesso à São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília (DF). Nós não colhemos mais nada, isso faz com que o problema aumente, pois o fruto vai amadurecer no pé e será impossível comercializar”, diz.
Na cadeia produtiva da empresa, de acordo com o gerente, estão 300 funcionários que também paralisaram os trabalhos após o protesto dos caminhoneiros. “Isso não tem como calcular, pois se o trabalhador está disponível e não usamos sua mão de obra, nós temos que arcar. Apesar de termos este prejuízo, vemos que o protesto é legítimo, pois o que acontece hoje não é reflexo de agora. Porém, tem de se cobrar algum retorno do governo, senão cada um irá arcar seu prejuízo e a coisa permanecerá do mesmo jeito”, diz Dailton dos Santos, que disse ainda que foram doados pela empresa algumas frutas para os caminhoneiros que participam do protesto.
O gerente da Central de Abastecimento do Norte de Minas (Ceanorte), Flávio Reis, afirma que já sentiu os efeitos nos produtos que são comercializados na Central. De acordo com Reis, em alguns produtos já foram registrados um aumento de até 20%.
“Muitos produtos chegam em menor quantidade e muitos nem recebemos. Teve uma queda drástica no volume de produtos como o tomate e a batata. O valor normal do saco da batata, por exemplo, é de R$ 50,00 e ontem na feira foi vendido por até R$ 150,00. Tem carga de cenoura parada na região de Patos e carga de manga em Salinas. E a tendência é que o preço aumente à medida em que vai diminuindo o abastecimento”, comenta.
Protesto em Jaíba fechou a MG-401, que dá acesso ào Distrito de Mocambinho
Daílton Santos/Arquivo Pessoal
Protesto
O protesto dos caminhoneiros contra o preço dos combustíveis chega ao quarto dia de forma pacífica em Montes Claros. Na BR-251, mais de 350 caminhoneiros permanecem parados no estacionamento de um posto de combustíveis. Um protesto também foi realizado entre as BRs 135 e 365 na tarde dessa quarta-feira (23).
Segundo representante da Minaspreto, Gildeon Gonçalves, caminhoneiros fecharam a base de distribuição de combustíveis em Montes Claros na manhã desta quinta-feira, o que pode provocar a falta de combustíveis na cidade.
O que diz o sindicato
O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Montes Claros informou ao G1 que foi realizada uma cúpula entre as centrais em Brasília nessa quarta para discutir os rumos da paralisação e a adesão de caminhoneiros de empresas. Inicialmente, apenas os autônomos reivindicavam, mas no momento a classe de profissionais contratados também aderiram ao movimento. Situação que preocupa as centrais sindicais.
O sindicato de Montes Claros disse que as decisões tomadas na reunião de serão divulgadas ainda na tarde de hoje.

Leia +
Fonte: MG – Grande Minas <g1.globo.com>

Após tentativa de fuga, jovem de 18 anos é presa em flagrante suspeita de tráfico de drogas em Taiobeiras


Polícia Militar encontrou uma barra e sete buchas de maconha escondidas debaixo de um carro; drogas seriam comercializadas por R$ 250,00. Jovem tentou esconder a droga debaixo de um carro
Polícia Militar/Divulgação
Uma jovem de 18 anos foi presa em flagrante por tráfico de drogas na noite dessa quarta-feira (23) em Taiobeiras, no Norte de Minas. A Polícia Militar informou que a mulher tentou fugir a pé e esconder as drogas debaixo de um carro quando avistou a viatura, mas os policiais conseguiram alcançá-la minutos depois.
Ao verificar o material escondido debaixo do veículo, foram encontrados sete buchas de maconha e uma barra da mesma droga. Ainda de acordo com a PM, a ação foi deflagrada após uma série de denúncias anônimas de que a jovem comercializava os produtos na cidade; o flagrante aconteceu entre a Avenida do Contorno e a Avenida Amazonas.
A suspeita informou que os materiais seriam vendidos pelo valor de R$ 250,00. No mesmo local, também foi encontrada uma mulher com idade não identificada. Ela foi liberada após os policiais não constatarem nada de ilícito.
A jovem foi encaminhada a delegacia, junto com os materiais apreendidos.

Leia +
Fonte: MG – Grande Minas <g1.globo.com>

Posto de combustíveis vende gasolina sem imposto e preço chega a R$ 2,10  em Montes Claros


Estabelecimento aderiu à 10ª Edição do Dia da Liberdade de Impostos; protesto dos caminhoneiros provoca falta de etanol em três postos da cidade. Motoristas formaram fila desde às 4h em busca da gasolina sem imposto em Montes Claros
Ana Cláudia Mendes/Inter TV
Mesmo com a paralisação dos caminhoneiros, um posto de combustíveis em Montes Claros, no Norte de Minas, aderiu à 10ª edição do Dia da Liberdade de Impostos, promovida pela Câmara de Dirigentes de Lojistas (CDL).
A tributação no preço da gasolina no Brasil chega a até 48%. No estabelecimento que participa do ato, o litro da gasolina custa R$ 4,48, mas nesta quinta-feira (24) está sendo vendido por R$ 2,10 um desconto acima de 50%. De acordo com o presidente do CDL, o Dia da Liberdade de Imposto é dedicado à conscientização da população.
“O objetivo principal deste dia é mostrar ao brasileiro que até hoje ele trabalhou para pagar imposto. A CDL vem mostrar o que incide de imposto em cada produto e incentivar a população para que cobre do governo que a arrecadação destes tributos seja revertida em investimentos para os cidadãos”.
O ato é realizado em todo o país. Em Montes Claros, apenas o posto de combustíveis, que fica na Avenida Sanitária, e um restaurante, que fica em um posto de combustíveis na Avenida Governador Magalhães Pinto, aderiram ao ato.
“Este ato é simbólico. Então, está sendo limitada a quantidade de combustível para cada veículo; dez litros de gasolina para carro e cinco para motos. No restaurante, o almoço será servido hoje sem a cobrança dos impostos”, diz o presidente.
Os valores dos impostos referentes às vendas realizadas pelos dois estabelecimentos serão pagos pela ACI Jovem, CDL jovem e Minaspetro.
Paralisação dos caminhoneiros
O protesto dos caminhoneiros contra o preço dos combustíveis chega ao quarto dia de forma pacífica em Montes Claros. Na BR-251, mais de 350 caminhoneiros permanecem parados no estacionamento de um posto de combustíveis. Um protesto também foi realizado entre as BRs 135 e 365 na tarde dessa quarta-feira (23).
Segundo representante da Minaspreto, o abastecimento não foi comprometido em Montes Claros e apenas o etanol começou a faltar em cerca de três postos de combustíveis.
Initial plugin text

Leia +
Fonte: MG – Grande Minas <g1.globo.com>

Adolescentes são detidos por tráfico de drogas e posse ilegal de arma em Montes Claros


No Bairro Jardim Palmeiras, foram apreendidas 41 buchas de maconha com um adolescente de 16 anos; no Chiquinho Guimarães, menor de 14 anos foi detido com revólver. Buchas de maconha estavam na casa do adolescente em Montes Claros
Polícia Militar/Divulgação
Um adolescente de 16 anos foi detido na noite desta quarta-feira (24) suspeito de tráfico de drogas em Montes Claros. Durante um patrulhamento no Bairro Jardim Palmeiras, policiais viram vários jovens em atitude suspeita.
Entre o grupo, estava o adolescente que tentou fugir, mas foi abordado em seguida, na Rua Maringá. Segundo a PM, foi encontrada uma bucha de maconha, mas os policiais foram à residência dele e apreenderam outras 40 buchas da mesma droga. Os outros jovens fugiram e não foram detidos.
O adolescente e a droga apreendida foram levados para a delegacia da cidade.
Apreensão de arma
No Bairro Chiquinho Guimarães, um adolescente de 14 anos foi detido por posse ilegal de arma de fogo. Ele foi abordado em atitude suspeita no Beco A. Os militares foram a um barracão onde o menor mora e encontraram um revólver calibre .32.
Para os militares, ele afirmou que possui a arma para sua defesa pessoal. O adolescente foi encaminhado à delegacia com o revólver apreendido.

Leia +
Fonte: MG – Grande Minas <g1.globo.com>

Mulher é presa em Araçuaí suspeita de participação em quadrilha especializada em sequestros em Minas Gerais


Segundo a Polícia Civil, ela ajudou na logística em um sequestro de uma gerente de banco em Nanuque em abril; dois comparsas já estavam presos. Mulher foi presa após informações de comparsas suspeitos de participação na quadrilha
Polícia Civil/Divulgação
Uma mulher de 26 anos foi presa nesta quarta-feira (23) em Araçuaí (MG) suspeita de fazer parte uma quadrilha especializada em sequestros. De acordo com a Polícia Civil, o mandado de prisão foi expedido pela comarca de Nanuque após dois comparsas dela, também suspeitos de atuação no grupo e que foram presos anteriormente, entregarem a mulher.
Após levantamento de informações, a suspeita foi encontrada na residência do namorado. Aos investigadores ela negou participação do crime, mas a PC acredita que ela ajudava na logística das ações. A mulher foi levada ao Presídio de Araçuaí e deverá ser encaminhada, em seguida, para Nanuque.
Crimes
Segundo a PC, a quadrilha é suspeita de ao mesmo três sequestros realizados neste ano. O último deles foi em abril, mediante extorsão, quando o grupo invadiu a casa de uma gerente de banco, de 50 anos, em Nanuque, e exigiu que a vítima efetuasse saque de dinheiro. Segundo a polícia, os autores fizeram a gerente refém em sua casa e chegaram a ameaçar a vítima de morte, colocando um explosivo falso amarrado em suas costas.
Parte do grupo, dois homens, foi preso no mesmo dia, após a polícia identificar o crime e encontrar o esconderijo usado pelos autores para levar os reféns. No local, os policiais encontraram cartas e documentos endereçados a duas mulheres, comparsas das ações, entre elas a suspeita presa nesta quarta-feira.
A Polícia Civil ainda procura outra mulher que também teria participação nos crimes. A polícia não comentou se o grupo é suspeito de outros crimes.

Leia +
Fonte: MG – Grande Minas <g1.globo.com>

Pular para a barra de ferramentas